Reforma Protestante - Reformador Dr. Lutero

REFORMA LUTERANA 31/10/2013 Há 496 anos, na Alemanha, eclodiu um movimento religioso que transformaria o cenário mundial: A Reforma Luterana. A revista americana Life editou uma lista dos 100 personagens mais notáveis do milênio, entre os quais figura Martinho Lutero. A Reforma Luterana não foi apenas um movimento com impacto religioso; mas, a sua repercussão atingiu o âmbito político, econômico e social. Martinho Lutero foi um monge agostiniano. A sua formação obedeceu o regime clássico da época. Seus pais quiseram que ele se tornasse um advogado; mas, a busca por um relacionamento de paz e harmonia com o Santo Deus o empurrou para o convento. Foi fiel aos estudos, aos votos e ao regime da época. Mesmo no convento, não conseguia tranqüilizar a sua consciência. Confessava freqüentemente os seus pecados e, ao sair do confessionário, percebia que precisava retornar. Afadigou-se nas vigílias, orações, auto-flagelação, até que seu amigo e superior, Johann Staupitz o aconselhou a olhar mais para as chagas de Cristo, a tornar-se pregador, pois pregando aos outros, acalmaria a sua consciência, que se preparasse para o doutorado e que assumisse a cadeira de Ensino da Bíblia na Universidade. Lutero acedeu ao conselho do amigo e pôs-se a estudar, com mais afinco, a Palavra de Deus. Quando preparava-se para lecionar sobre a epístola de Paulo aos Romanos, deparou-se com as palavras do capítulo 1, versículos 16,17, onde o Santo Deus diz que “ A Justiça de Deus se revela no evangelho ... o justo viverá por fé!” Esse conceito de Justiça de Deus o incomodava, pois sabia que o ser humano jamais consegue alcançar, com seus feitos, o parâmetro da justiça de Deus. Principalmente agora, quando leu que “A justiça de Deus se revela no Evangelho”, então ficou atordoado. Finalmente, pela ação do Deus Espírito Santo, compreendeu que essa Justiça de Deus é aquela que Deus presenteia a todo o que crê, por causa de Cristo. Jesus Cristo, o Filho de Deus, veio ao mundo para cumprir a Lei e toda a Justiça e, por sua morte e ressurreição, não só tem o poder de perdoar os nossos pecados; mas, presenteia ao que nele confia a justiça que é sua, de Cristo. Por isso, o Justo Viverá pela Fé. Descoberta esta verdade, Lutero passou a prega-la com veemência. Fez isso de forma incisiva ao afixar as suas 95 Teses na porta da Igreja do Palácio de Wittemberg. Nestas, Lutero pregou especialmente contra o sistema da venda de indulgências, que era um documento comprado que garantia ao que o comprasse o perdão dos pecados, a herança da vida eterna e outros favores de Deus. Esse fato deu-se no dia 31 de Outubro de 1517, pelo que esse dia ficou conhecido como o Dia da Reforma Luterana. Após isso, Lutero e seus colaboradores, especialmente Felipe de Melanchton, expuseram com mais detalhes a Doutrina Luterana em diversos escritos, entre os quais, os Catecismos Maior e Menor, e a Confissão de Augsburgo. Muitos acusam Lutero de ter dividido a Igreja Cristã. Na verdade, desde o Grande Cisma de 1054, a Igreja estava dividida ao meio. O que Lutero propôs foi a re-análise, a reforma de conceitos que, durante os séculos, a Igreja tinha perdido. Hoje, não apenas o mundo religioso como tal, mas o mapa político europeu, e todo um sistema educacional e de ética cristã , agradecem ao movimento da Reforma Luterana. O luteranismo no mundo comemora a sua data especial com gratidão a Deus, querendo avançar no propósito de compartilhar a herança da Reforma Luterana com o mundo todo, levando Cristo Para Todos e, preparando, cada dia mais, pessoas crentes para a volta de Jesus. Rev. Silvio F. da Silva Filho Pastor da Igreja Evangélica Luterana do Brasil

Comentários