terça-feira, 30 de abril de 2013

Missão PEL Cristo - Teresina, PI

Barro Duro - 03/05 Parnarama (Boa Vista) - 25/05 Agradecemos aos irmãos que estão nos ajudando: Hora Luterana, IELB (FAPI), Pastor Paulo Teixeira e Ivonelde, PEL Cristo de Teresina e irmãos que sempre estão dispostos a ajudar e orar por todos. Que Deus abençoe a todos. Planalto Uruguai - 17/05 (Casa da Monike) Agradecemos a disponibilidade dos irmãos em oferecer as casas para o Culto e a presença das famílias, vizinhos e irmãos da Igreja. Deixamos aqui o convite para o próximo Culto.

Educando os filhos para uma vida cristã

Conta-se de uma mãe que, ao colocar os filhos à noite na cama, orava separadamente com cada um, mencionando alguma falta que porventura haviam cometido durante o dia. Muitas vezes os filhos se erguiam do leito e abraçavam sua mãe com lágrimas nos olhos, pedindo-lhe perdão. Esse procedimento da mãe era muito mais eficiente do que qualquer castigo, pois evidenciava o amor sincero que sua mãe lhes dedicava. Há muitos pais hoje em dia que se esforçam em dar uma boa educação a seus filhos, mas só pensam no seu corpo e intelecto e não formam o seu coração. Dizem esses pais que é melhor que o filho escolha mais tarde, por si mesmo, a sua religião. Esses pais expõem os seus filhos aos mais sérios perigos, quando têm o melhor recurso, que é a Palavra de Deus, para educá-los. A Bíblia nos diz em Isaías 49.15 que é muito difícil que uma mãe esqueça o seu bebê ou que deixe de amar o seu próprio filho. E Deus também diz: “mesmo que uma mãe se esquecesse de seu filho, eu nunca me esqueceria de vocês.” Deus não nos esqueceu, e mandou seu único Filho para morrer em uma cruz e nos salvar. Oremos: Pai Celestial, peço que me auxilie na educação cristã de meus filhos. Dê-me sabedoria para mostrar a eles o seu grande amor e o Salvador Jesus Cristo. Amém. Leia em sua Bíblia Isaías 49.15 fonte: Hora Luterana

sexta-feira, 26 de abril de 2013

Deus quer nos perdoar

Texto: At 14.8-18 “E disse em voz alta: Levante-se e fique de pé! O homem pulou de pé e começou a andar” (At 14.10). Às vezes estamos tão preocupados com os grandes milagres que esperamos de Deus, que nos esquecemos das grandes realizações que ele faz todos os dias, e não damos a elas o devido valor. Deus pode fazer e quer fazer milagres e maravilhas. Ou, melhor, ele faz isso todos os dias para os que acreditam nele e também para os que não. O sol nasce para todos, a chuva cai para todos, mas aos que creem em seu nome está reservada a vida eterna. Sempre vemos as realizações de Deus do ponto de vista humano. Aos nossos olhos, a cura de uma doença terminal impressiona mais do que o perdão que recebemos ou o perdão que damos, e que parece ser insignificante. Mas, para Deus o que é mais difícil fazer: curar um homem paralítico ou perdoar os pecados? O texto de Atos, capítulo 14, versículo 10, relata que, diante de um paralítico, o apóstolo Paulo disse: “Levante-se e fique de pé! O homem pulou de pé e começou a andar”. Para realizar uma cura, Deus apenas precisa de uma ordem, de uma palavra, de um toque, como no texto, quando o apóstolo Paulo disse: “Levante-se e fique de pé!” Porém, para perdoar essa pessoa, Cristo precisou passar por um sofrimento muito grande. Mesmo sendo Deus, ele se humilhou tornando-se um ser humano e morreu por nós. A sua morte foi uma morte na cruz. E para realizar completamente esse plano de salvação, Cristo não permaneceu com os mortos, mas, ressuscitou e subiu aos céus. Uma cura para Deus é muito fácil, mas ele quer nos dar algo muito mais valioso: o seu perdão e a vida eterna ao lado dele. Não rejeite esse presente maravilhoso. Oremos: Senhor, perdoa todo o mal que fazemos, mesmo que muitas vezes não perdoemos aos que nos magoam e nos prejudicam. Não nos deixes cair em tentação e livra-nos do mal, pois isso somente o teu poder pode fazer. Em nome de Jesus. Amém. Fonte: Cinco Minutos com Jesus

domingo, 7 de abril de 2013

As cruzes do Templo na IELB

A cruz é o símbolo que mais identifica a presença do cristianismo em todo mundo. Desde o início da Igreja Cristã, ela foi usada para identificar templos, instituições e cemitérios. É também costume antigo usá-la como adorno pessoal, pendurada ao pescoço. Hoje, ela continua sendo uma das melhores formas de identificar a presença da fé cristã. Ao longo da história, foram desenvolvidos diversos estilos de cruzes. No meu livro A dinâmica do culto cristão (Editora Concórdia), mais precisamente no último capítulo, tem uma parte que fala sobre estilos de cruzes. Neste espaço, vou falar apenas sobre as formas de cruzes mais usadas na IELB. Alguns evangélicos e pentecostais não admitem qualquer forma de cruz. Alegam que o uso dela é uma adoração a um objeto, o que seria idolatria. Há pessoas que usam a cruz como espécie de amuleto, que serve para proteger contra perigos e até “mau olhado”. A falta de conhecimento sobre o significado e importância da cruz pode levar a distorções. O Crucifixo É a cruz com o corpo de Cristo esculpido. Ele enfatiza a natureza humana de Cristo e o seu sacrifício por nós. Um crucifixo sempre nos lembra que Cristo morreu por nós, para que tivéssemos perdão e salvação. Porém, ele também lembra que a nossa vida aqui na terra ainda está sob a cruz. Muitos entendem que, após a ressurreição de Jesus, o cristão não tem sofrimentos e que sua vida é sempre alegre, mas a Palavra de Deus condena esta interpretação. Jesus diz que, para ser discípulo dele, é preciso tomar a cruz e carregá-la. Algumas igrejas até admitem o uso da cruz, mas apenas a cruz vazia e não o crucifixo. Dizem que o importante é anunciar o Cristo ressurreto. “Nós pregamos o Cristo crucificado”, diz o apóstolo Paulo (1 Co 1.23). Ao dizer isso, Paulo lembra que a obra salvadora de Cristo culminou com o seu sacrifício na cruz e que, sem ele, não haveria vitória. No templo, o melhor lugar para o crucifixo é em cima do altar, um pouco à frente da cruz vazia, pois o altar sempre lembra o sacrifício dos animais no Antigo Testamento. Como Cristo é o perfeito Cordeiro sacrificado por nós, estes sacrifícios não são mais necessários. Lembrando o sacrifício de Jesus por nós, o crucifixo é o ornamento mais importante do altar. A Cruz Vazia Lembra a ressurreição e a vitória de Jesus sobre o pecado e a morte. Seu maior propósito é dizer que Cristo vive e que nós, pela fé, viveremos com ele. Ela sempre serve de consolo para o povo de Deus, pois tem nela um símbolo da esperança pela ressurreição. Dentro da igreja, a cruz vazia deve ficar por trás do altar e sobressaindo acima dele, dando a ideia de que, após a ressurreição, Jesus subiu ao céu. Na frente dela está o crucifixo, geralmente menor. Assim, quem olha de frente para o altar, visualiza o crucifixo e lembra que sua caminhada ainda está sob a cruz, mas já pode levantar os olhos e, ao visualizar a cruz vazia, pode estar certo da sua ressurreição e vida eterna com Jesus no céu. A Cruz da Procissão Em festividades especiais, por ocasião da entrada dos ministros e dos oficiantes, pode-se usar uma cruz “processional”. Ela é composta de uma cruz pequena, inserida numa haste de metal. Na procissão de entrada, ela deve ir à frente e sobressair a tudo e a todos, para mostrar que é por causa de Cristo que podemos prestar culto a Deus. É conveniente que o portador da cruz cubra-se com uma sobrepeliz. A Cruz da IELB A cruz que identifica a IELB é bastante conhecida em todo Brasil. Ela é um logotipo de uma instituição e não de toda a Igreja Cristã. Sua função é identificar a IELB e não a Igreja Cristã num todo. Assim, é bom que ela esteja em lugares visíveis, como nas fachadas de templos, nas torres, portas e placas das igrejas e em adesivos. Em alguns templos da IELB, ela está afixada atrás do altar, que não é o melhor lugar para ela. Lá, deveria estar a cruz vazia e o crucifixo, que são símbolos litúrgicos universais, os quais pertencem à Igreja Cristã de todos os tempos. O altar e seus ornamentos devem lembrar a obra de Cristo em favor do pecador, enquanto que a cruz da IELB quer apenas identificar uma instituição. Rev. David Karnopp, pastor em Vacaria, RS Membro da Comissão de Culto da IELB

Missão em Barro Duro, PI

Na última sexta-feira, dia 5 de abril, fizemos nossa visita a nossa irmã Maria Leal e família em Barro Duro, PI. Na ocasião entregamos folhetos, livrinhos e devocionais aos vizinhos e os convidamos para o Culto a noite. Também foram doadas algumas Bíblias para aqueles que disseram que não tinham. A noite, às 19:00hs, realizamos um Culto, onde estiveram presentes 35 pessoas. Foi uma ótima oportunidade de atendermos nossos irmãos e anunciar o Evangelho aos demais.

quarta-feira, 3 de abril de 2013

Café Pascal na CELC de Teresina, PI

No domingo de Páscoa realizamos nosso Culto bem cedinho, 6:00hs da manhã. Depois do Culto tivemos nosso café em Congregação. Assim podemos louvar o Senhor e comemorara a Páscoa, que é a ressurreição do Senhor Jesus, Vitorioso sobre o pecado, o mundo, o diabo e a morte. Porque Ele vive nós também viveremos. "Bendito o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, que, segundo a sua muita misericórdia, nos regenerou para uma viva esperança, mediante a ressurreição de Jesus Cristo dentre os mortos, para uma herança incorruptível, sem mácula, imarcescível, reservada nos céus para vós outros". 1 Pe 1.3-4